Conteúdo Gratuito
Category

inovação

Home / inovação
inovação

O Mundo está mudando e você?

O filme De Volta Para o Futuro e as temáticas dos livros de Júlio Verne têm uma coisa em comum: eles previram o futuro! Futuro que, no caso, já se tornou presente e às vezes nem sabemos! Ou será que você sabia que casas já foram feitas a partir de impressoras 3D ou que carros voadores já andam por aí?

Pode parecer estranho quando batemos o olho em uma notícia assim, mas a verdade é que várias inovações tecnológicas, que antes só existiam em nossas imaginações, já são parte do dia a dia de muita gente.

Pois bem, o mundo está mudando, e você?

No filme citado acima, lançado em 1985, o professor Emmett Lathrop “Doc” Brown constrói uma máquina do tempo a partir de um DeLorean (carro famoso naquele tempo) e se aventura juntamente com o garoto Marty McFly. No filme aparecem diversos objetos com conceitos que, na época, sequer existiam de verdade! Veja alguns deles:

  • óculos de realidade virtual;
  • câmeras fotográficas compactas;
  • sistemas de comando de voz;
  • chamadas de vídeo;
  • computador de mão (semelhante ao Tablet);
  • games que utilizam sensor de movimento;
  • cinema 3D;
  • sensores biométricos.

Os itens acima primeiro foram apresentados ao público por meio de projeções da imaginação, seja em livros ou em filmes, mas logo se tornaram parte integrante de nossas rotinas e atividades de lazer. Diversos outros filmes também previram outros tipos de inovações, como Minority Report: A Nova Lei, que nos apresentou a tecnologia da computação touchscreen.

Já Júlio Verne, também mencionado acima, é conhecido como o pai da ficção científica. Por quê? Seus escritos previram avanços científicos e tecnológicos que até hoje influenciam nossa realidade, como o primeiro submarino elétrico, viagens espaciais, satélites artificiais e até noticiários televisivos. Incrível, não é?

Neste e-book você vai conhecer algumas das inovações tecnológicas que já estão revolucionando o nosso cotidiano — como impressoras 3D, carros voadores, criptomoedas e robôs —, e prometem ser o futuro do futuro. Ou será que já são? Confira a seguir e desperte seu lado inovador!

Senhores passageiros, apertem os cintos! Estamos indo para… Marte?

Marte? Estamos indo para Marte? No que depender de Elon Musk, um dos maiores empreendedores da atualidade, fundador da Tesla, da SpaceX e até do PayPal, sim. E em breve!

Ele acredita que isso será uma realidade daqui a 7 anos, aproximadamente, mas além de superar obstáculos tecnológicos, também deve superar os obstáculos relacionados às condições do meio ambiente do Planeta Vermelho.

Para Elon Musk, colonizar outro planeta seria uma forma de segurança contra a possibilidade da Terra se tornar inabitável no futuro, seja em razão de fatores como meteoros ou problemas socioeconômicos e ambientais que as populações enfrentam atualmente, os quais podem resultar em guerras nucleares devastadoras.

Então, o empreendedor revolucionário pretende criar uma cidade em Marte com condições semelhantes àquelas que temos aqui. Afinal, como ocorreria essa viagem?

Por meio do Spaceship, veículo espacial batizado pelo próprio Elon Musk, que será impulsionado por um foguete da SpaceX. Os custos? Salgados, bem salgados: de acordo com Musk, só a espaçonave poderia custar até 10 bilhões de dólares!

Segundo estimativas, os testes com os primeiros modelos não tripulados do Spaceship serão realizados a partir de 2019 — pois é, o que parecia só um sonho caminha a passos largos para se tornar uma realidade muito em breve.

Os livros e filmes de ficção científica deverão ser muito mais criativos daqui pra frente se quiserem apresentar novidades, não acha?

Carros voadores: o sonho que virou realidade

Tal tecnologia é tão revolucionária e tão presente na imaginação de jovens e adultos há tantos anos que muitos de nós nem sabemos que já é uma realidade. “O quê?”, você pode estar se perguntando, incrédulo. Sim, é isso mesmo que você leu, carros voadores já fazem parte da realidade!

A companhia AeroMobil, da Eslováquia, aceitou pré-encomendas de carros cujo valor unitário gira em torno de mais de 1 milhão e meio de dólares, e as entregas estão previstas para 2020! A princípio, apenas 500 unidades serão fabricadas.

Em 2017 foi lançado o modelo 4.0, primeira versão disponível comercialmente. Esse veículo-avião é movido pelo sistema de propulsão híbrido elétrico; a empresa afirma que o veículo faz a transição para o modo avião em menos de 3 minutos — como carro, alcança até 160 km/h; como avião, sua velocidade chega a 360 km/h.

Será que para dirigir um desses precisaremos da Carteira Nacional de Habilitação e também de um brevê de piloto? Bom, é muito provável que sim, pelo menos na Europa as licenças para piloto serão necessárias.

Muitos testes já foram feitos, e um deles você pode conferir neste vídeo oficial com o modelo 3.0. O futuro é agora, veja o vídeo e se impressione!

O que podemos esperar na área da saúde?

Tratamentos médicos estão em constante alteração, assim como a forma que cuidamos de nossa saúde.

Um dos avanços já previstos está relacionado aos medicamentos personalizados. Em vez de tomar a dosagem padrão receitada e lidar com os efeitos colaterais descritos na bula, o futuro pode exigir que o paciente faça um teste genético a fim de saber qual é o remédio e a dosagem específica a serem tomados de acordo com as peculiaridades de seu organismo. Dessa forma, o tratamento seria mais eficaz e os danos colaterais seriam reduzidos.

E quando se trata de impressão de órgãos em 3D, a revolução parece ser ainda maior. Sabemos que inúmeras pessoas morrem aguardando um transplante, seja pela falta de doadores ou pela não autorização das famílias, não é?

Em geral, as impressões em três dimensões já abrangem objetos simples e complexos. Órgãos de plástico já começaram a ser impressos, mas por enquanto o uso se limita ao auxílio em cirurgias; eles são conhecidos como biomodelos.

No entanto, já se discute a possibilidade de imprimir órgãos funcionais (ou seja, que possam ser utilizados em transplantes) com as próprias células do paciente, o que acarretaria menor risco de rejeição — esse avanço, previsto para se tornar realidade em aproximadamente 20 anos, salvaria milhares de vidas!

Além disso, tecidos já estão sendo impressos com biotinta composta por proteínas, células e outros componentes biológicos. Esses tecidos podem ser úteis, inclusive, para o tratamento de inúmeras doenças e para o fim dos testes em animais.

Com essas inovações é possível que o aumento da longevidade seja cada vez mais constante. Mapeamento genético efetivo que torna possível novas formas de diagnóstico, equipamentos e testes eficazes para auxiliar no tratamento correto do paciente, transplantes rápidos e seguros com órgãos impressos… Quem imaginaria que nosso presente seria tão futurístico?

Já imaginou estudar em uma faculdade sem professores?

A área da educação também apresenta um futuro cercado de inovações. Inclusive, já existe uma universidade sem professores ou supervisores: seu nome é 42, ela está estabelecida na França e nos Estados Unidos e não conta com livros ou mensalidades — as disciplinas oferecidas estão relacionadas à área de Tecnologia da Informação (TI).

E como funciona?

Em vez de serem receptores passivos, como no sistema de ensino tradicional, os alunos desempenham o aprendizado colaborativo de forma ativa: em vez de consultarem professores ou supervisores, eles aprendem pesquisando, trocando informações entre si e testando o que dá certo de acordo com cada projeto. As notas, aliás, são atribuídas de um estudante para outro.

A graduação, que pode levar até 5 anos para se realizar, acontece quando os alunos atingem o nível 21. Eles passam de nível conforme vão finalizando seus projetos com a ajuda dos colegas de turma e das informações obtidas na internet. O sistema, até então, tem se mostrado bem-sucedido, já que ex-alunos já arrumaram empregos em grandes empresas como Tesla e IBM.

Será que a tecnologia também estará presente no ambiente educacional de outras maneiras? Pode apostar!

Óculos de realidade virtual, por exemplo, podem ser úteis em experiências imersivas nas aulas de história. Sabemos que o aprendizado ativo faz com que mais informações sejam captadas e gravadas pelos estudantes, então imagine não aprender passivamente sobre os dinossauros, mas vê-los em uma realidade virtual!

Ao visualizarmos o ambiente no qual viviam, as plantas da época, o modo que se alimentavam, como se fossemos espectadores, é provável que a assimilação do conteúdo ocorra de maneira mais completa.

Já a realidade aumentada poderia ser útil para alunos do curso de Arquitetura, por exemplo, os quais desenvolveriam projetos com mais precisão por meio de projeções holográficas.

Ei, você aí! Me dá uma bitcoin aí, me dá uma bitcoin aí!

Quem não lembra da famosa marchinha de carnaval cujo refrão marcante é “Ei, você aí! Me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí!”? Ela foi composta em 1959, ano em que a tecnologia das criptomoedas ainda estava bem longe de ser inventada. Pareceu estranho? Se fossemos adaptá-la para os dias atuais, com certeza cantaríamos algo parecido com o que foi visto acima.

A área financeira sofreu uma revolução nos últimos tempos: fintechs, criptomoedas e o sistema de blockchain, além de outras inovações, vêm impulsionar a 4° Revolução Industrial, que está acontecendo aqui e agora.

Vamos ver um pouco sobre cada um deles?

Fintechs: empresas inteligentes

Fintechs — palavra formada pela junção dos termos Financial e Technology — têm em sua essência serviços financeiros inovadores, cujos processos são, sobretudo, baseados em tecnologias de ponta. Essas empresas geralmente oferecem menos burocracia e mais praticidade.

Um exemplo é o serviço prestado pela empresa Nubank, uma espécie de banco sem agência que oferece cartões de crédito sem taxas de anuidade, entre outros serviços livres da velha burocracia.

Criptomoedas: vamos falar de Bitcoins

Embora as Bitcoins não sejam as únicas criptomoedas disponíveis para compra e venda, são as mais famosas e utilizadas.

Algumas de suas características é que ela pode ser subdividida em diversas unidades e não depende de intermediários — essas moedas digitais revolucionaram o mercado financeiro com transações anônimas que não necessitam de nenhuma instituição, apenas do meio digital.

Apesar das oscilações nos valores, essa tecnologia é uma das mais eficazes atualmente, já que facilitou o sistema de pagamento, o qual antes dependia de agências bancárias para depósitos, transferências ou qualquer tipo de transação envolvendo dinheiro.

Além disso, esse “dinheiro digital” derruba barreiras, já que pode ser usado por usuários de diferentes países e continentes, de forma instantânea e sem a necessidade de conversão de moedas ou de cobrança de taxas.

Como se utiliza a infraestrutura do blockchain, que possui um sistema descentralizado, as transações envolvendo Bitcoins são seguras e criptografadas.

Blockchain: possíveis utilizações

O blockchain — plataforma digital que possibilita a verificação segura de registros, os quais são armazenados de forma descentralizada — é uma das tecnologias mais inovadoras do mercado e surgiu juntamente com as criptomoedas.

Apesar do seu conceito estar relacionado às finanças, hoje já temos outras possíveis utilizações. Veja algumas a seguir:

  • assinatura e registro de contratos;
  • autenticação de identidade ou de conteúdos da web;
  • transações internacionais facilitadas;
  • registro de dados médicos;
  • preservação da integridade do sistema eleitoral;
  • compartilhamento de energia solar;
  • criação de jogos digitais.

Afinal, como funciona essa evolução tecnológica? O blockchain funciona como uma espécie de banco de dados, mas em vez de ser apenas um, são vários. As transações seguem uma cadeia lógica de informações criptografadas e são validadas por uma rede de computadores — como todo esse sistema é descentralizado, não há riscos de fraudes.

Agora, veja algumas vantagens de uso:

  • não é possível que apenas uma pessoa detenha os dados;
  • todas as transações são registradas;
  • os próprios usuários é que validam as informações;
  • as operações são mais rápidas e mais seguras;
  • qualquer atualização ou manutenção também ocorre de maneira descentralizada.

Casas construídas em apenas 24 horas com impressoras 3D: você acredita que isso é possível?

A expansão tecnológica não poderia deixar de fora o segmento de Construção Civil, concorda? A indústria da construção está sofrendo alterações futurísticas, inclusive casas já foram construídas em apenas 24 horas por meio de impressoras 3D, dá para acreditar?

A responsável pela empreitada foi a empresa Apis Cor, especializada em impressão 3D, que construiu o imóvel na Rússia em apenas 1 dia — o custo, aliás, gira em torno dos R$ 32 mil para uma moradia com aproximadamente 37m². Nas impressões foi utilizada apenas uma mistura de concreto.

Além disso, há em curso um projeto holandês chamado de Project Milestone. Seu objetivo? Construir cinco casas impressas na cidade de Eindhoven, na Holanda, a serem vendidas futuramente — a primeira construção está prevista para ser entregue ainda em 2019. Em razão da liberdade de criação, as formas das construções também prometem ser inovadoras, com um resultado futurístico; confira um vídeo sobre o projeto.

Isso não só afeta diretamente o setor de tecnologia que atua fortemente em inúmeras potências mundiais, mas também outras áreas da sociedade — imagine o impacto que causaria nos indicadores sociais, ambientais e econômicos do Brasil, por exemplo, futuros projetos sociais do governo com construções feitas de forma tão rápida e sustentável.

Não ficou satisfeito e quer ainda mais?

Confira a seguir outros avanços tecnológicos!

Robôs

Além das inovações que já foram mencionadas, ainda há outras bem interessantes, como robôs garçons do Japão que são controlados por pessoas com deficiência, de maneira remota — nesse caso, em vez de tomar empregos de seres humanos, esses robôs oferecerão oportunidades para aqueles que, de outra forma, não poderiam trabalhar.

Os robôs medem 1,20 m e pesam 20 kg; por meio da internet, vídeos e áudios são transmitidos aos funcionários, que então os orientam por meio de computadores ou tablets. Além de impulsionar tremendos avanços, percebemos como a tecnologia também serve como aliada da inclusão.

Por outro lado, há sim profissionais que correm o risco de serem substituídos pela tecnologia: a China, por exemplo, criou os primeiros âncoras robôs do mundo! Eles são dotados de inteligência artificial e têm a aparência de apresentadores reais. Em razão da possibilidade da jornada de trabalho desses colaboradores futurísticos ser de até 24 horas por dia, os custos da empresa são reduzidos drasticamente.

A ameaça é tão real que já existem sites que medem a probabilidade de um robô tomar o seu emprego, como o “Will Robots Take My Job?” (o que, numa tradução livre, significa “Os robôs vão ficar com o meu emprego?”). E aí, será que a sua vaga no mercado de trabalho está ameaçada?

Serviços de streaming

Vamos lá, quem não usa Netflix levanta a mão!

Com produções nacionais e internacionais, e utilizando o serviço de streaming de vídeo para transmitir filmes, séries, desenhos e documentários,  essa produtora vem desbancando a TV a cabo e até mesmo a TV por assinatura — embora não possamos dizer que é o fim da TV, podemos afirmar que o número de assinantes vem caindo significativamente.

Problemas com torrents ou pop-ups de anúncios eram constantes entre o público que para ver seus filmes e séries recorria aos downloads — muitas vezes ilegais — ou àquelas transmissões online diretamente de algum site.

A Netflix, por sua vez, oferece uma interface limpa e simples de ser utilizada. Ao fazer o login, o usuário se depara com inúmeros filmes e séries para assistir. Basta um clique e pronto, não é necessário fazer downloads demorados ou lidar com aqueles anúncios que atrapalham a visualização e enchem o computador de vírus ou malwares.

É, quem costumava rebobinar fitas VHS manualmente ou passar horas escolhendo um filme no tempo das videolocadoras não imaginaria que o futuro — hoje, presente! — seria representado pelo mundo do streaming.

Sistema de entrega com carros autônomos e drones

Além dos carros voadores, as inovações tecnológicas também permitiram a criação de carros autônomos, seja para o transporte de passageiros ou para o transporte de mercadorias.

Em relação a essa última categoria, por exemplo, a empresa Cleveron está apresentando incríveis revoluções: os colaboradores se empenharam para fazer com que os veículos, além de transportarem mercadorias, também entreguem os produtos. Dessa forma, não seria necessário ter alguém em casa para que as entregas fossem realizadas.

Isso é possível por meio de um carro autônomo que possui um braço robótico automático: ao chegar na residência de destino, esse sistema automatizado é capaz de pegar a mercadoria e colocá-la numa espécie de armário também automatizado, eliminando dessa forma a necessidade de intervenção humana, como você pode conferir neste vídeo. Testes estão previstos para acontecer nas ruas da Estônia, na Europa, em 2020.

Esse avanço promete ser muito benéfico para o e-commerce e para aqueles que sofrem com as entregas dos carteiros do correio, que às vezes afirmam que não encontraram ninguém em casa, não é?

Lembrando que o sistema de entregas está sendo revolucionado não somente por carros autônomos, mas também por drones!

A Amazon já realizou testes bem sucedidos por meio do projeto Amazon Prime Air — a modalidade ainda está sendo testada, mas promete ser parte de um futuro bem próximo.

E-commerces

Décadas atrás, quem imaginou que poderia comprar o que quisesse sem sair de casa?

O avanço tecnológico também se apresenta no segmento varejista: enquanto a Amazon — gigante do comércio eletrônico — expande suas operações, o Walmart perde espaço no mercado. E qual é o motivo disso?

A plataforma online da Amazon revolucionou a experiência de compra e colocou o cliente no centro do negócio. A empresa possui um conteúdo digital com qualidade superior às demais lojas — ela começou como uma livraria virtual e logo ampliou a variedade de produtos para todas as categorias possíveis, vendendo desde itens eletrônicos até copos descartáveis. Ou seja, os clientes poderiam encontrar de tudo, virtualmente e com preços acessíveis. Revolucionário ou não?

Enfim, conforme vimos aqui, as inovações tecnológicas pensadas no passado já estão sendo desenvolvidas e amplamente utilizadas no presente em inúmeras áreas. Planos de colonização de outros planetas, carros que voam, veículos autônomos, impressoras 3D, criptomoedas, entre outras inovações vieram para incrementar a nossa realidade — o futuro é aqui, e é agora!

Pode ter certeza de que muitas outras revoluções tecnológicas virão por aí, já que os avanços em diferentes segmentos estão cada vez mais rápidos, alterando constantemente aquilo que chamamos de realidade.

Em um mundo de inovação constante, ser o mesmo é sempre o maior risco. Aproveite nosso Curso Online “Como despertar seu lado inovador”, aprenda mais sobre as tendências que estão por vir e desenvolva suas habilidades para este novo mundo!

Um abraço,

Thiago Campos

inovação, Sem categoria

Open banking: o que é, como funciona e como pode revolucionar o sistema bancário mundial

A revolução tecnológica invadiu todas as áreas e com o sistema bancário não é diferente. O open banking é uma dessas novidades, que já é tendência em todo o mundo e tem ganhado cada vez mais espaço também aqui no Brasil.

Se você ainda não sabe o que é isso, é melhor ler esse texto, pois o open banking promete revolucionar o mercado financeiro e já está mudando a relação das pessoas com os bancos.

O que é e como funciona?

Na tradução literal, open banking significaria banco aberto. Na prática, o que esse modelo pretende é simplificar a portabilidade de dados entre as instituições financeiras.

open banking cria uma espécie de plataforma que integra aplicativos, permitindo que outras empresas e serviços acessem os dados dos clientes, desde que com a autorização deles.

A proposta é que todo o sistema adote interfaces de programação de aplicativos abertas (APIs) , o que estimularia, além da troca de dados, a competitividade e a transparência entre as instituições financeiras.

Quais são as vantagens para o cliente?

A proposta do open banking é que o cliente possa escolher qual instituição oferece a opção que ele considera mais vantajosa, sem precisar começar uma nova relação burocrática para adquirir aquele produto ou serviço.

Assim, além de fugir da burocracia, o cliente teria mais autonomia e liberdade, porque não ficaria preso a apenas um sistema. Pagamentos, por exemplo, poderiam ser feitos no próprio aplicativo da loja, ao invés de no do banco.

Quem tem contas e investimentos em instituições diferentes também se beneficiaria da integração e não precisaria mais fazer manualmente as transações entre elas. Seria possível ver em uma única plataforma toda a sua vida financeira, de forma automática e segura.

Outra vantagem seria a redução de custos, uma vez que, com um sistema integrado, pode ser possível dispensar intermediários, tornando os processos mais rápidos e baratos.

A abertura proposta pelo open banking também cria um ecossistema onde a oferta de produtos e serviços ao cliente podem ser ampliados. Tudo isso em um ambiente seguro, como já acontece hoje com as operações online.

Na prática, como isso vai fazer parte da minha realidade?

open banking á é uma realidade no Reino Unido e países como Japão, Estados Unidos e Austrália também já deram os primeiros passos nesse sentido. No Brasil, a ideia ainda é uma novidade para muita gente, mas o Banco Central já começou a discutir sua regulamentação.

De olho na tendência, grandes bancos, como o Banco do Brasil e o Banco Original, já estão trabalhando para integrar aplicativos e redes sociais com seus serviços. Além disso, mesmo antes da regulamentação, algumas iniciativas, como a Nubank, maior fintech do país, já funcionam baseadas nesse conceito. O aplicativo Conta Azul, é outro exemplo de ideia, que já integra informações financeiras para facilitar a gestão dos dados.

Como a gente viu nesse texto, o futuro já começou. Mas, você pode estar mais preparado para ele e até descobrir a melhor forma de investir, com a ajuda dos FERAS. Acesse agora nossa comunidade gratuita no Telegram e receba conteúdos de qualidade gratuitos na palma da sua mão!

inovação

Fintechs: o que são, quais as principais do Brasil e como elas impactam sua vida.

Para muitos usuários e especialistas, as fintechs representam o futuro do mercado financeiro. Nos últimos anos, esse tipo de empreendimento tem se tornado cada vez mais relevante para economia e acessível para potenciais clientes.

O seu crescimento é responsável por ampliar o acesso a serviços bancários, de crédito e investimentos em plataformas desenvolvidas para simplificar esse tipo de transação. Como o próprio nome sugere, a tecnologia é uma parte fundamental desse tipo de serviço que preza pela inovação em um nicho de mercado que não era explorado anteriormente.

Se você tem interesse em conhecer mais sobre essa revolução no mercado das finanças, continue com a leitura deste conteúdo.

O que são as fintechs?

O conceito de fintechs busca combinar serviços financeiros com facilidade de acesso. A marca deste tipo de organização é a quebra da burocracia para se tornar um usuário e a ampliação do seu uso, por meio de plataformas tecnológicas.

Além disso, as fintechs se destacam por conhecer as necessidades de seus clientes e desenvolver soluções financeiras adequadas.

Quais as principais modalidades de fintech no mercado?

Cada serviço financeiro disponível em uma instituição financeira tradicional pode ser encontrado no formato de uma fintech. Por isso, confira as principais modalidades e empresas que se destacam no segmento:

– Cartão de crédito: A Nubank se encontra na liderança como uma startup que revolucionou esse nicho, ao oferecer o benefício de um cartão de crédito sem anuidade e de fácil obtenção. Em julho de 2019, a empresa atingiu a marca de 10 milhões de clientes. Com planos de continuar a crescer, a sua atuação foi expandida para oferecer conta corrente, conta de rendimento e programa de recompensas opcional.

– Banco digital: O banco Inter se destaca por oferecer taxas de juros competitivas, cartões de crédito sem anuidade e a possibilidade investir com facilidade, que são fatores que conquistam inúmeros clientes e contribuem para a sua fidelização. Todo o processo de abertura de contas e atendimento também é feito pelo próprio aplicativo.

– Corretora de seguros: A Youse tem conquistado espaço ao simplificar esse tipo de proteção residencial, automotiva e de vida. No seu site, é possível realizar a cotação das coberturas desejadas e obter os preços para a contratação do serviço, tudo sem depender de corretores intermediários.

Como esse tipo de empresa afeta o seu cotidiano?

No cenário atual, a principal mudança das fintechs tem relação com o relacionamento com os clientes. Por exemplo, até recentemente, não era possível abrir uma conta bancária sem comparecer a uma agência de banco.

Já os clientes de uma organização como o banco Inter, são capazes de fazer o seu cadastro por meio do aplicativo do banco, que coleta os dados necessários para esse propósito. O formato do relacionamento com o cliente também teve que ser reformulado para evitar longas filas e a demora no atendimento.

Por isso, os canais de comunicação disponíveis incluem:

• Chat no aplicativo;

• Telefone;

• E-mail;

• Redes sociais.

Um dos nichos mais bem-sucedidos é a oferta de crédito e financiamento, com condições mais favoráveis para um público que, muitas vezes, não era considerado vantajoso por grandes instituições financeiras.

Quer aprender mais sobre o tema? Então clique aqui e faça parte gratuitamente da Comunidade FERA!

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound
Cart Overview